No último final de semana, de 24 a 26/03/2017, a equipe do Máximus entrou na competição para se experimentar após um início de trabalho. O grupo tinha em mente um objetivo que era se classificar para disputar as semifinais, pois isso garantiria mais 2 jogos na competição.

A apresentação na fase de grupos não foi como esperávamos, pois logo na primeira partida fizemos um difícil jogo contra o time do Castelo Branco, que era uma equipe mais pesada e forte, porém seu maior peso e força era mais que físico, era de experiência, bagagem no handebol e muita contribuição ao handebol paraibano. Dessa partda, conseguimos um sofrido empate com um gosto um pouco amargo. Placar 9 x 9.

Na segunda partida, enfrentamos uma equipe fisicamente parecida com a nossa, porém mais ágil, com forte defesa e bons chutes de fora, a equipe FIP/HCI. Dessa vez, já no início da partida, encontramos um espírito de grupo e de garra muito forte que contagiou toda a equipe que funcionou bem melhor tanto na defesa quanto no ataque, então saímos vitoriosos com o placar de 16 x 13.

Na terceira partida, esperava-se o mesmo espírito da partida anterior, o que acabou não aparecendo. Nessa partida enfrentamos a equipe do BHC, de Natal-RN, uma equipe muito jovem que, além de aguerrida, tinha ótimos chutes de apoio, era rápida na marcação e tinha uma armação inteligente e ofensiva. O resultado não foi o desejado, perdemos pelo placar de 16 x 13.

Nossa última partida da fase de grupos foi contra a guerreira e raçuda equipe da UFPE. Entramos com obrigação da vitória para cumprir nosso objetivo de classificação, o qual era matematicamente bem complicado sabendo que outras 3 equipes do grupo ainda iriam se enfrentar estando todas com chances de classificação. Fizemos nossa parte e conquistamos a vitória pelo placar de 12 x 9.

No dia seguinte acompanhamos os resultados das duas partidas que faltavam para o nosso grupo. Partidas muito disputadas e vitórias de 1 gol de diferença, demonstrando o quão complicado foi o grupo B. Com esses resultados, nos classificamos em 2º colocado do grupo, estando empatado em pontos com a equipe do Castelo Branco ficando a frente pelo saldo de gols.

A semifinal foi disputada com o Treze/UEPB. Não foi uma semifinal qualquer, foi um espetáculo de handebol, um jogo de defesas sólidas e show dos goleiros. O Máximus saiu vitorioso da semifinal e teve como grande jogador da partida seu goleiro, que salvou o time nos momentos mais difíceis da equipe, realmente Zequinha “fechou” o gol, pegando todos os 7 metros do Treze. E com um bom jogo de ambas as defesas que o jogo terminou com um placar de 8 x 6 pro Máximus. Nessa partida, o time reencontrou aquele espírito de grupo novamente, fazendo da classificação para final um acontecimento ainda mais emocionante.

Quem saiu de casa para assistir à final entre Náutico e Máximus não se arrependeu. Que jogo! Um espetáculo de handebol. Demorou alguns minutos para sair o primeiro gol da partida, os dois times mostravam que suas defesas eram fortes, rápidas e bem estruturadas. A equipe do Máximus abriu o placar mas logo sofreu o empate e foi ultrapassada. Com ótimas trocas entre os armadores e diversas infiltrações o Máximus conseguiu empatar. O jogo foi bastante equilibrado com grande destaque para a defesa disciplinada do Máximus que conseguiu anular grande parte de um dos pontos fortes do Náutico que era os contra-ataques, com isso os armadores do Náutico começaram a chutar de fora e conseguiram empatar o jogo. Mas no final o placar terminou 14 contra 13, consagrando nosso time como campeão da competição na categoria Adulto Masculino.

Foi o título de um time que acreditava que o trabalho que iniciou este ano merecia a classificação para as semifinais, mas que alcançou alguns degraus mais em cima, graças a um projeto que já nasceu grande, graças ao grupo que aceitou o projeto, graças a contribuição sem igual de nosso mestre, Silvio Romero, que jogou junto com o time, ainda que da área da comissão técnica, e que abraçou o projeto, o dando ainda mais credibilidade, e graças a todos os que compõem o grupo estando ou não em quadra nessa competição.

Agora nós acreditamos, ainda mais, que podemos ir mais longe. Vamos continuar trabalhando na humildade para fazer nosso esforço e, especialmente, nosso esporte serem reconhecidos cada vez mais no nosso estado, no Nordeste e no Brasil.

Máximus Handebol Clube – Paraíba

Campeão da II Copa João Pessoa de Handebol

(Março/2017)